Curso de automaquiagem Mary Kay

Confesso que fiquei um bom tempo paquerando produtos Mary Kay antes de entrar em contato com uma consultora, elas me assustavam. Não sei agora, mas há algum tempo atrás elas eram vistas como pragas pela elevada quantidade de spam deixada nas comunidades do orkut e comentários de blogs, pelo aparente desespero para vender e chego a dizer que parecia até fanatismo religioso o amor declarado de algumas pela empresa, parecia que elas sofriam lavagem cerebral, sei lá. Como eu sou apaixonada pelo efeito que a base mineral da Everyday deixava na minha pele (mas era amostra e acabou), cismei que precisava de uma base mineral. As opções do mercado na época eram muito caras e a da Mary Kay parecia a melhor opção custo/benefício, resolvi ignorar o medo e entrei em contato com uma que encontrei no Orkut. Trocamos alguns e-mails no qual ela foi bem atenciosa, após alguns contatos fui convidada a uma aula de automaquiagem e apresentação dos produtos Mary Kay.

Marquei a aula num espaço chamado “Casa Rosa”, onde encontrei pessoalmente a minha consultora e a executiva, que seria a pessoa responsável pela aula. Pelo que me parece, são sempre oferecidos cursos e o tema vai variando, a duração é de no máximo duas horas. O que me foi oferecido foi o de maquiagem noite, ao qual compareci com uma amiga.

O programa da aula foi o seguinte:

Preparação de pele:

Inicialmente, foi feita a limpeza da pele com os lenços de limpeza facial. Esses lencinhos são muito macios, uma amiga minha diz que eles são utilizados na aplicação de maquiagem permanente nos olhos por essa qualidade, já que a toda hora tem que limpar durante o procedimento e nessa repetição os lenços normais acabam arranhando muito. Achei interessante o fato deles serem vendidos secos e só na hora de usar você que molhar ele, ou seja, não tem o problema do líquido secar antes do pacote acabar. Também rendem bastante: se você não estiver com muita maquiagem, metade do lenço é suficiente, então dá pra cortá-los pela metade e guardar a parte não for usar. Não testei, mas parece que não são recomendados para maquiagem dos olhos, já que foi utilizado o removedor específico para esta região (ou elas queriam mostrar mais produtos, sei lá).

Como os lenços já se dizem tonificantes, pulou para a hidratação, no qual fui apresentada ao Hidratante Redutor de Linhas de Expressão da linha TimeWise para pele mista a oleosa e foi paixão à primeira passada: leve, absorve rápido e deixa a pele sem brilho (comprei um pra mim). Em seguida, foi a maquiagem.

Maquiagem:

Base:

Eu queria conhecer a base mineral, mas elas insistiram que a cobertura é muito leve e acabei testando a base líquida de cobertura média, tão elogiada por aí. Para descobrir as cores, fizeram o teste do jeito certo, testando no rosto,  linha do maxilar. Testaram duas cores, uma amarelada e outra rosada, não achei nenhuma perfeita, mas dentre as duas, a rosada dava menos contraste (o que é estranho, já que sempre dizem que oriental tem fundo amarelo). A aplicação foi feita com os dedos. Aí, elas usaram a base mineral como pó e eu achei bizarro. Elas usaram em um tom diferente do da base líquida, segundo elas, se eu usasse os dois tons iguais o efeito na pele seria muito chapado. O que eu achei disso? Achei estranho, mas vou confessar que não ficou o reboco que eu jurava que ia ficar e a pele ficou bonita, mas só usaria desse jeito para eventos noturnos. Por que elas não usaram o pó mineral ao invés da base? Não sei, esqueci de perguntar.

Corretivo:

Mesmo não tendo olheiras fortes me indicaram de cara o corretivo Yellow. Ensinaram a aplicar com batidinhas com o dedo anelar e também a misturá-lo com a base para aplicação mais leve. Ficou bonito, mas acho ele muito forte pro meu dia-a-dia.

Olhos:

Nessa parte, dizeram que existe duas técnicas de aplicação de sombra, vertical e horizontal, foi ensinada esta última com o “V”. Foram utilizados primer de sombras, sombra iluminadora creme a pó, 3 ou 4 tons de sombras minerais em pó, lápis de sobrancelha, lápis de olho e rímel. Achei que o resultado final, principalmente o uso do bico (ou V) acabou me deformando um pouco. Apesar delas apresentarem conhecimento sobre maquiagem de olhos orientais, achei que faltou um pouco de senso estético e a sombra podia ter subido menos, mas elas diziam que estava ótimo enquanto eu me sentia meio drag. Bom, pelo menos serviu para saber o que não fica legal em mim e, se não fosse esse detalhe da área da sombra, o resultado teria ficado bonito.

Quanto ao rímel, ensinaram a não bombear o rímel, a dobrar a escovinha antes de usar, tirar o excesso antes de aplicar, “inclinar a cabeça para trás e pro lado oposto ao olho que se quer maquiar” e passar o rímel em zig-zag. Achei os produtos utilizados bons, mas, como o curso é da Mary Kay, elas ignoram algumas coisas que poderiam ser citadas como curvex e lápis bege/branco.

Também foram indicados os tons de sombra mais adequados a meu tom de pele baseando-se na paleta da Mary Kay.

Blush e iluminador:

 Foi ensinado a passar blush mais ou menos assim: dá um espaço de dois dedos ao lado do nariz e puxa na diagonal, esfumando se ficar muito marcado. O iluminador (que gostei bastante) foi ensinado a ser passado na área do C ao redor dos olhos. Por eu ter sido compatível com o tom rosado de base, me proibiram de usar tons puxados pro rosa e me limitaram a 2 tons de blush da Mary Kay. Eu sei que blush pink não combina muito mesmo, mas me considero uma pessoa de bom senso na maquiagem e sempre usei tons de rosa sem problema nenhum, então ignorei a regra.

Batom e gloss:

Ao final aplicamos o batom ou gloss, não teve nada de muito interessante nessa parte.

Resumindo: 

Prós:

  • É de graça.
  • Curso bem completo em seu conteúdo.
  • Por ser turma pequena tive uma atenção muito boa das maquiadoras.
  • Deu para conhecer muitos produtos da marca ou que eu não tinha.
  • Deu pra perder o medo de me jogar na sombra.
  • Ótimo custo/benefício.

Contras:

  • Notei alguma rigidez na aula ao não me deixarem experimentar a base mineral sozinha (era o que eu mais queria ver), só apresentarem um tipo de corretivo, dizer que o blush tem que ser daquele jeito.
  • Achei estranho usarem a base mineral como pó.
  • Falta de senso da maquiadora, não gostei do resultado dos olhos, por mim eu teria diminuído a altura da sombra mas elas insistiam que estava bom.

Descobri depois que o tom de base 300, que não me foi apresentado, talvez fosse o mais adequado do que os que experimentei. Nesse caso, aquelas regrinhas de restrição de certas cores pro meu tom de pele acabaram se mostrando como furadas, como eu já sabia.

Não sei se o programa do curso é o mesmo para todos os lugares, o que eu fiz foi em Campinas e a gente sabe que a qualidade varia muito de maquiador para maquiador. Achei esse mais interessante pra quem sabe pouco, entretanto, eu acho que alguma coisa nova sempre se aprende nesses cursos, então, sendo de graça, acho legal fazer. Eu vou confessar que passei a brincar mais com sombras depois desse curso.

Notas:

  •  A aula citada foi oferecida em Dezembro/2010.
  • Após essa aula, agendamos uma outra aulinha só com minha consultora em meu apartamento, no dia da entrega dos produtos que a gente comprou. Nessa aula, ela ensinou combinação de sombras e a outra técnica de aplicação de sombra, a horizontal, gostei dos resultados nesse dia. Fora dos olhares da executiva, conversamos sobre maquiagens em geral, não só da Mary Kay, e ela ensinou a gente a utilizar os produtos que a gente já tinha. Perdi o medo das consultoras dessa marca, acho que a questão é achar uma legal que te agrade. Antes dessa daí, entrei em contato com uma que achei pelo site da marca e não simpatizei muito porque ela já queria me converter em consultora quando eu só queria informação sobre base, sem noção. Mas essa que eu citei no post foi ótima, infelizmente não posso mais recomendá-la porque ela saiu da Mary Kay.
Anúncios

Sobre Vanessa

Engenheira química, paulista, 27 anos, apaixonada por cosméticos e maquiagens. Acredita que conhecimento nunca é demais e que as pessoas deveriam ser mais críticas com as informações que recebem.
Esse post foi publicado em curso e marcado . Guardar link permanente.

3 respostas para Curso de automaquiagem Mary Kay

  1. Olá!!! Sou consultora Mary Kay e achei muito legal suas considerações e experiências.
    É uma pena sua consultora ter abandonado a marca uma vez que é uma ótima empresa para se trabalhar.
    Espero que tenha conseguido outra consultora aí na sua cidade….
    Super Abraço

  2. Juliana disse:

    OI.. eu tambem sou consultora… axei bem legal e honesta suas colocações…
    soh quero deixar claro que o “programa” varia de consultora para consultora… a maioria nao eh maquiadora profissional (como eu) e que essas aulinhas sao para pessoas hiper iniciantes heheh… fora isso realmente usamos apenas os produtos da marca por isso que eh gratis e talz…
    quantoa rigidez na aula acontece mto pq se deixamos as alunas experimentarem de tudo que quiserem a aula se estende demais… além disso nem todas as consultoras tem todos os produtos a bertos para demosntracao…
    que bom que curtiu os produtos… e a aulinha…
    Bjao :*

  3. Débora Cristina Oliveira dos Santos disse:

    Quero me escrever no curso

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s