É igual.

Eu já tinha comentando isso no Twitter (@ptodiscrepante) durante meu período de férias do blog, mas é bom deixar a informação por aqui também.

Era uma vez uma pomada de bebê que virou mito na internet porque o pessoal começou a usar para hidratar lábios e depois para tudo quanto é coisa (muitas vezes, sem fundamento). Essa pomada havia saído do mercado e voltado recentemente em duas versões: uma destinada ao seu uso original, para bebês, e outra melhorada, para uso em adultos.

A versão de bebê se manteve no mesmo preço e tamanho que o original, enquanto a versão melhorada (supostamente mais adequada para as aplicações alternativas que o pessoal encontrou) chegou em embalagem bem menor e quase o dobro do preço. Isso em valores absolutos, se for pegar proporcionalmente, foi mais que o dobro.

Houve quem aceitasse passivamente a chegada dessa nova versão e se empolgasse. No entanto, outras pessoas, como eu, questionaram esse preço abusivo da versão para adultos. A principal razão disso era a lista de ingredientes de ambas serem iguais. Porém, apesar dfortíssimas as suspeitas de que era o mesmo produto em embalagem e preços diferentes, não era possível comprovar. Muitas pessoas enviaram mensagens ao SAC da empresa tentando sanar a dúvida e só obtiveram respostas vagas.

Muitas blogueiras chegaram a comprar essa versão mais cara e encontraram muitas vantagens em relação à versão pobre: diziam que absorvia mais rápido, que era muito melhor que a versão antiga, que o resultado vinha mais depressa, etc. E salientavam uma indicação da embalagem do irmão pobre que dizia que o produto não era indicado para ser testado nos lábios, alertando que o uso da versão de bebê podia ser perigosa para hidratar os lábios (função mais utilizada por quem compra o produto).

O que eu queria dizer é que, recentemente, tive contato com uma pessoa ligada à tal empresa. Solicitando sigilo sobre sua identidade, esta me informou que, de fato, os dois produtos possuem fórmulas idênticas. São embalagens diferentes, registros diferentes, indicações de uso diferentes, mas o produto é exatamente o mesmo.

Segundo me foi relatado, essa idéia surgiu após a empresa reparar, através dos blogs, que as pessoas andavam comprando muito a tal pomada com finalidades cosméticas. Resolveram então aproveitar a fama e relançar o produto já existente em uma categoria de maior valor agregado.

A nova identidade visual do produto (mais parecida com medicamento), as indicações de uso distintas para um produto e outro, tudo foi muito bem pensado e estudado. Aquele aviso que deixou muita gente preocupada sobre a segurança de uma das versões nos lábios foi meticulosamente planejado para direcionar o público para a versão mais cara. Se você tiver alergia a uma versão, terá que ter à outra. E sim, é possível adquirir alergia a um produto que você já utilizou anteriormente.

Quer um indício de que a empresa realmente andou de olho nos blogs? É só dar uma olhada nos blogs por aí. Tem um monte deles recebendo de presentinho essa versão de maior valor agregado e fazendo o maior jabá para a empresa.

O que aprendemos dessa história?

1) Que o efeito placebo realmente funciona mesmo, é só ver o tanto de gente que achou diferença entre eles.

2) Que o marketing é uma ferramenta muito poderosa e amplamente utilizada neste mundo capitalista em que vivemos, nunca se esqueça disso. Aliás, já viu minha indicação de leitura?

3) Que é bom sermos críticos com a informação que recebemos, ao invés de acreditar em tudo sem questionar.

Nota: 

– Informações referentes apenas à versão pomada.

– Eu fiquei na dúvida se publicava este post ou não. A pessoa que me passou a informação deu a impressão de estar indignada com a fato e, a mim pareceu, queria que este fato fosse divulgado. Porém, ela poderia ser prejudicada caso soubessem que a informação partiu dela e me pediu cuidado caso divulgasse por aqui. Eu ia deixar a questão de lado no blog, mas depois que apareceu um comentário comentando uma suposta alergia a somente uma das versões, achei que talvez valesse a pena o post. Então omiti algumas outras informações interessantes mas que denunciariam a pessoa e espero ter sido suficiente. Se você que passou a informação se sentir denunciada, entre em contato que eu retiro este post ou altero onde achar necessário.

Anúncios

Sobre Vanessa

Engenheira química, paulista, 27 anos, apaixonada por cosméticos e maquiagens. Acredita que conhecimento nunca é demais e que as pessoas deveriam ser mais críticas com as informações que recebem.
Esse post foi publicado em Bepantol, utilidade pública. Bookmark o link permanente.

35 respostas para É igual.

  1. karina fukuda disse:

    nem precisa dizer o nome do produto… parabéns!

  2. Vanessa disse:

    Confesso, fiquei com medinho de levar processo.

  3. Cris disse:

    Obrigada! Estava mesmo com esta duvida, que foi plenamente respondida.

  4. Adriana Prado disse:

    Que bom! Confirmou o que eu e muitas pessoas pensavam sobre este produto.Eu mesma continuo usando a versão pomada nos lábios e não comprei as outras versões por achar $$ demais para um produto que antes era tão barato. Beijo

  5. Vanessa disse:

    Foi um absurdo esse aumento de preço. Mesmo que tivesse alguma diferença na fórmula, se continua dando o mesmo efeito, não vejo porque comprar o mais caro.

  6. Priscila disse:

    Oi Vanessa, parabéns pelo post! Muito esclarecedor, assim como os outros dois q vc escreveu sobre a mesma pomada.Tbém fiquei indignada com a diferença de preço e queria uma explicação, na época do lançamento do produto. Então, liguei no SAC da empresa fabricante e, depois de escutar todo o embromation decorado, perguntei diretamente: e qual é a concentração de dexpantenol na versão Derma? A atendente respondeu q essa é uma informação sigilosa, uma vez q o produto é um cosmético!!!Jogada de mestre, não?!? Pra mim, já tá muito claro, pois se a concentração fosse maior, seria vantagem pra eles informar isso aos cliente!Absurdo, viu! Até a Julia Petit fez vídeo sobre a pomada! CAPITALISMO SELVAGEM mesmo!Priscila

  7. Dani disse:

    Eu usava na minha filha por melhorar a dermatite atópica ao redor da boca. Quando saiu a versão derma eu comprei achando que a cosmética fosse melhor. Pura balela. Mesmíssima textura, mesmo cheiro, mesmo tudo. E paguei mais caro por menos produto. Uma vergonha isso.

  8. Vanessa disse:

    Pois é Priscila, esse negócio de não divulgar concentração é bem má fé mesmo. Eu fico indignada deles agora ficarem falando que o Derma tem alta concentração (mas não diz quanto) e o Baby não. O baby sempre teve elevada concentração (5%, o máximo permitido e igual aos concorrentes que divulgam), eles não iam piorar o produto por causa do lançamento de um "melhor".Virou uma palhaçada mesmo essa questão, em vez deles trazerem os outros produtos da linha vendidos lá fora e darem uma melhorada na embalagem, (porque aquele buracão da versão líquida é triste e a pomada em embalagem de metal sempre me causa transtornos for furar e vazar antes do fim), ficam só gastando em marketing para poderem cobrar mais dos consumidores por um produto que sempre foi bem mais barato.

  9. Vanessa disse:

    Ah, a Julia Petit sempre foi bem capitalista mesmo. Não sei porque ela é tão intocável. Já li coisas bem questionáveis no blog dela e ela às vezes usa looks que eu acho bem "fashion victim", mas ninguém nunca fala nada…

  10. Vanessa disse:

    Oi Dani, ainda bem que você foi esperta e notou que não tem diferença. Pior é aquele monte de gente achando diferenças inexistentes e que dizem que só vão comprar a derma, porque a outra é "perigosa".

  11. Tanny disse:

    analisem comigo:como algo pra bb vai ser perigoso?como assim,se pode passar nos genitais do bebê e nada acontece,porquê causaria alergia em adultos?cada uma viu,nunca caí no conto da derma,mas fala sério é muita falta de respeito com o consumidor

  12. Vanessa disse:

    Realmente, a pele do bebê é super sensível, qualquer produto desenvolvido para esse público é planejado para ser o mais seguro possível.Mas alergia é bem pessoal, apesar de se evitar os ingredientes com maior tendência a dar irritação e alergia, nada impede que algo supostamente hipoalergênico dê alergia a alguém. O problema maior é saírem falando que têm alergia a uma coisa e à outra não, sendo as duas iguais.

  13. ccsmarques disse:

    Eu sempre usei a versão antiga no bumbum das minhas filhas porque elas tinham alergia a qualquer outro creme anti assaduras (hipoglós, dermacid etc). E gastei bastante dinheiro com isso porque o tubo de 11 reais durava uns três dias.Quando ele sumiu do mercado e surgiu a versão baby eu entrei em pânico porque não tinha o mesmo sensorial e o pior, deu alergia na minha filha. Procurei do antigo em todas as farmácias do bairro e quando encontrei comprei todo o estoque de 8 pomadas. Sorte, muita sorte mesmo,foi que ela largou a fralda noturna justo quando a última pomada acabou.Então acho difícil dizer que a nova baby é igual à versão antiga.Por esse motivo resolvi comprar a versão derma, que saiu posteriormente, para usar nos meus lábios. Como uso só para isso, vai durar uma eternidade. Provavelmente vou jogar fora antes de usar tudo.

  14. Vanessa disse:

    Oi ccsmarques! Note que eu não mencionei que a composição se manteve igual quando passou a ter o rótulo baby, o que ficou igual foi a composição, entre si, dos dois novos produtos substitutos da pomada original. A fórmula da Baby para a 'original' foi alterada em alguns ingredientes por outros com a mesma funcionalidade, não sei com qual objetivo. Alguns blogs publicaram na época a lista de ingredientes e deu para comparar, é fácil de achar isso.Já a baby e derma possuem a mesma composição entre si, e é isso que eu alego neste post após ter essa suposição confirmada por alguém cuja posição lhe permite acesso privilegiado a essa informação. A questão da alergia que eu comentei é da pessoa alegar usar as duas versões novas e só ter alergia a uma, não entre a versão original e a nova.

  15. Gostei,sou macho…muito macho mesmo;estava lendo o assunto achei engraçado e interessante como vcs mulheres tem conhecimentos inimaginaveis pelos homens,Parabens ha gostei muito das coisas que li,e achei seu Blog Showww

  16. Débora Ramos disse:

    Olá, sou Engenheira de Materiais com 8 anos de experiência em química (aulas e laboratório). Primeiro gostaria de elogiar o seu blog, adicionei aqui nos favoritos. E segundo, parabéns pela matéria, eu já havia chegado a mesma conclusão e foi bom ver que é a mesma opinião de uma Eng. Química e de uma fonte interna.. Ah, se precisar de alguma opinião relacionada a materiais, é só mandar email.

  17. Vanessa disse:

    Oi Débora, obrigada! Gosto muito dessa área de materiais, particularmente trabalhei com polímeros no TCC e mestrado. :)Eu tinha só a grande suspeita de que era igual, a confirmação mesmo só deu para ter depois que a tal da fonte interna me confirmou que são iguaizinhos e ainda deu os detalhes da concepção dessa "nova" versão. Beijos!

  18. Argentum disse:

    Eu utilizei durante muito tempo esse produto e me recordo tambem, que o mesmo ficou fora de linha. Sou esteticista e fui consultora de beleza para varios laboratorios, sendo que esse grande golpe e' aplicado na venda de varios produtos, sobretudo os cremes para a região dos olhos, que teoricamente teria uma composição mais elaboradada para tal região sensivel. Engano. Aconselho a todos a lerem a composiçao (em letras miudas), mesmo que seja com uma lupa.Estou 'a disposição para divulgar e denunciar tal abuso ao consumidor.Att.Gize

  19. Vanessa disse:

    Argentum: Tenho a impressão de que muitas pessoas só vão acreditar nisso se eu citar nome, sobrenome e função da pessoa que soltou a informação ou levá-las para a fábrica e mostrar o processo das duas pomadas ou a empresa admitir o fato. A primeira quebraria a confiança de quem passou a informação (e a prejudicaria), a segunda e a terceira são impossíveis de acontecer.Eu faço o que posso passando o que sei a amigos e leitores, mas sinto que muita gente ainda tem grande resistência a acreditar e, na dúvida, preferem continuar pagando mais caro pelo mesmíssimo produto.A questão é que vender o mesmo produto em embalagens e preços diferentes, apesar de acharmos absurdo, não é nenhum crime.

  20. Adrieli disse:

    Eu estava com essa dúvida também, mas aí a farmacêutica disse que não havia diferença, que só mudava o nome e o preço, então comprei a baby mesmo. Mas sempre fica aquela pulguinha atrás da orelha né?? Obrigada! ótimo post.

  21. Adrieli disse:

    Também tinha essa dúvida até a farmacêutica me dizer que era a mesma coisa, que só mudava o preço e o nome!!! Achei ridículo e comprei a baby mesmo.. mas sempre fica aquela pulguinha atrás da orelha né? rs. Ótimo post.

  22. Danusa disse:

    Vanessa, seu blog é muito bom. Já tô seguindo aqui e no twitter. 🙂

    Gente, essa questão da famosa pomada é mais uma podreira da indústria farmacêutica. Só mais uma, entre várias*. Acho que essa questão da confiabilidade de produtos que consumimos é bem difícil, então precisamos discutir mesmo. Ela envolve as próprias práticas do capitalismo, é claro, que é selvagem não só entre concorrentes ou com trabalhadores/as, mas também com quem consome as mercadorias, mas a gente não está falando de qualquer produto, né? É remédio. E por que essa dita empresa preferiu fazer uma versão dermocosmética cara? Pra poder fazer propaganda mais livremente do que se faz com remédios (ainda que no nosso país haja propaganda de remédio, o que é um absurdo, já que todo uso deveria ser recomendado por médicos/as).
    O que seria necessário é um maior controle social sobre a produção desse tipo de mercadoria. Quem deveria fazer isso? O Estado, já que teoricamente ele serve pra isso (proteger os cidadãos e cidadãs). Só que o lobby industrial em cima de uma questão dessas nas agências reguladoras é fortíssimo – quem acha que uma cidadãs comuns têm influência frente a lobbystas altamente remunerados/as?
    Problemas de falta de informação e embustes mercadológicos são problemas graves porque cada vez mais utilizamos uma quantidade maior produtos de origem e produção “desconhecida”. Alguém aí sabe a concentração de roundup (glifosato, ou seja, veneno) em cada produto que a gente come (e dá pras crianças) que contém soja transgênica, por exemplo? :/
    Basicamente é isso: não sabemos o que tem no que consumimos e as empresas se acham no direito de esconder da gente como as coisas são produzidas. Alguém aí acha razoável confiar em uma corporação capitalista? Estamos no sal.

    Ao mesmo tempo, tem o/a químico/a responsável que assina o produto e sabe das barbaridades. Devemos discutir ética profissional também, né? É claro que o/a trabalhador/a é o ponto mais fraco dentro de uma corporação capetalista, mas é um ponto que não deve ser deixado de lado.

    *Sobre causos da indústria farmacêutica, lembrei daquele da produtora de levotiroxina sódica (hormônio pra hipotireoidismo, doença que curiosamente anda crescendo de maneira vertiginosa) que bancou uma pesquisa pra mostrar que seu produto (o mais caro do mercado, Synthroid) era melhor do que as versões mais baratas de outras empresas (Puran, Euthyrox, etc.) e proibiu a publicação dos resultados de pesquisa porque a conclusão da pesquisadora era que o produto deles tinha a mesma eficiência das versões (mais baratas) das outras empresas. Veja bem, a pesquisadora foi financiada, não era empregada da empresa. Ela foi impedida de publicar os resultados por cláusula contratual, o que fere qualquer razoabilidade metodológica. Essa história está descrita no livro “No Logo”, da Naomi Klein.

  23. Vanessa disse:

    Oi Danusa, seja bem vinda!

    Essa prática do preço diferenciado para um mesmo produto não é tão incomum (até porque não é ilegal), como indústria química é minha área, sei de alguns casos. Não necessariamente na área cosmética mas muitas vezes uma mesma fórmula é utilizada e vendida como produto diferente mudando-se, além da embalagem, apenas a fragrância ou alguns poucos ingredientes (pode-se substituir ingredientes por outro com mesma função ou turbinar a fórmula com ingredientes adicionados em quantidade insuficiente apenas para servir de chamariz). Neste caso do post, chamou muito minha a atenção porque nem se deram ao trabalho de disfarçar.

    Não vou me manifestar quanto ao roundup por não ter lido nenhum dos estudos, então em minha ignorância não tenho nenhuma opinião formada. Particularmente, acho que em alguns casos a preocupação das pessoas com os riscos dos produtos industriais é exagerada (vide o caso da vacina MMR ou do batom com chumbo), criou-se uma cultura do medo na qual a impressão que se tem é que empresas estão loucas para envenenar os clientes, não é bem o caso. O EWG para mim é puro sensacionalismo.

    Apesar dos causos (tem uns que me contaram que eu morro de vontade de espalhar mas não quero levar processo nas costas, conto só pros amigos), eu acho exagerado dizer que não se pode confiar em nenhuma corporação capitalista, é generalizar demais.

  24. cintiapsico disse:

    Adorei o post! Depois que comprei a baby que me dei conta de que existia a Derma e pesquisando na net me deparei com suas palavras super esclarecedoras. Abraços!

  25. cintiapsico disse:

    Adorei o post! Comprei a baby e não sabia que existia a derma, pesquisando na net me deparei com o seu blog super esclarecedor. Parabéns!

  26. Queila disse:

    menina, eu compro baratinho na farmacia do trabalhador. tem varias versoes, o cheiro é o mesmo, mesma coisa. E a hidratação entao… mesmaaaa coisa, nao muda nadaaa!!

  27. Suzue disse:

    Ótimo post! Lembrei daquela vitamina que não era “nada”, custava menos de dois reais e não vendia tanto. Bastou a autarquia Pelé virar “garoto propaganda” do tal produto ximfrim para vender horrores por um preço bem, bem maior… Parabéns! Textos assim que nos ajudam a pensar e tirar travas dos olhos. Bjs Suzue

  28. Parabéns Vanessa pela oportuna postagem. Impressionante como nós consumidores somos lesados de todas as formas. Ainda bem que existe pessoas com atitudes nobres como você, que gentilmente nos esclarece. Beijos carinhosos. Salomé.

  29. Deborah Fonseca disse:

    Finalmente acabou com minhas dúvidas !!!!!!!!!!!

  30. Carmen Rios disse:

    No Bepantol. Baby eles não colocam mais escrito para não ser usado nos lábios, simplesmente dizem para evitar contato com os olhos!!!

  31. solange disse:

    pode usar o o princípio ativo ao invés da marca???

  32. Mirela disse:

    Post muito util, só confirmou as minhas desconfianças porq só vi diferença de embalagem e de preço, e todo mundo usava o bepantol baby e estava tudo otimo, so querem ganhar dinheiro.

  33. luana disse:

    Parabéns, pela posição ética de uma informação tão importante como essa! O mundo precisa de mais gente – humana – assim!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s