Esponja de Carvão de Bambu

Eu tinha feito um post sobre esponjinhas e acessórios de limpeza e falado que o que eu mais gostava no momento era uma tal esponja de carvão de bambu (por não ser tão comum de ser encontrada, faço estoque quando compro). É essa daqui:

Bamboo charcoal sponge

Misterios do Destino (esquerda) e Estava Escrito (direita)

A razão para eu gostar dela na verdade não tem nada de muito excepcional:

– ela é bem macia, não arranhando a pele de jeito nenhum (quando totalmente molhada);

– ele ajuda a retirar células mortas, não sendo um mero espalhador de espuma. Não vejo pelinha se soltando quando vou secar o rosto.

– é mais suave do que esfoliantes de rosto tradicionais (esfoliação muito forte na minha pele = espinhas no dia seguinte)

– usando em conjunto com uns produtos cuja ação de limpeza eu não gostei muito, o resultado é melhor do que quando eu utilizo tais produtos sozinhos.

O preço não é caro nem barato, paguei R$6,90 na loja Audrey da Liberdade. Vi um blogueira falando que estava com os poros muito abertos por causa da escovinha facial e que voltaram ao normal após substituir a escova por essa esponja, então resolvi comprar para ver qual era a do produto.

Está disponível em dois formatos: retangular e redondo (foto). Eu já testei os dois e gostei mais do redondinho por ser mais fino, acho o retangular muito grosso. Porém, acho a largura do redondinho meio grande demais pro meu rosto e gostaria que ele fosse um pouco menor.

Quando você compra essa esponja, ela vem úmida, e eu achei curioso isso. Tem uma razão: quando ela seca, fica muito dura (mais dura que a de celulose). Para voltar ao normal e poder usar sem esfolar a cara, tem que jogar água e dar uns apertões (com cuidado para não danificar ) até que toda a esponja esteja molhada e molinha, não é algo muito instantâneo.

Eu não entendi direito como ela é feita (porque né, carvão não vai virar por si só um material maleável), está tudo em chinês na embalagem e pouca coisa em inglês. Para mim, seria uma versão da esponja de celulose, porém, mais firme e que faz uma suave esfoliação. Talvez uma esponja de celulose revestida/impregnada com o tal carvão, ou algo do tipo.

Um ponto fraco dela é a cor preta, não dá para saber se começou a mofar ou não. Como ela se parece com a de celulose, então eu decidi que vou trocar ela frequentemente e também tenho muito cuidado para enxaguá-la bem a cada uso.

Para ser sincera, a razão que me fez ter vontade de postar sobre essa esponja são as promessas milagrosas. Está lá na embalagem:

“Bamboo charcoal can release infrared and anion that is suitable for skin absorb, keep skin in constant temperature and improves distal blood circulation, metabolism and rebirth ability. Easing and anti-anging.It contains natural mineral such as calcium, K, iron, and magnesium, they can turn into spring with water and makes your skin fresh, white, and healthy.”

Diz que o produto emite radiação infravermelha a ânions e, como resultado, mantém a temperatura da pele constante, melhora a circulação sanguínea, o metabolismo e a habilidade de regeneração. Com tudo isso, seria considerado um produto anti-idade. Também diz que é rico em minerais naturais, praticamente uma fonte de água mineral em esponja.

A única coisa que eu achei sobre o uso desse carvão de bambu é que ele é um ótimo adsorvente, tipo carvão ativado, sabe? É interessante para aplicação em processos industriais, mas, se isso ajuda em algo na limpeza da pele, não sei. Existem máscaras de carvão ativado, mas você aplica elas e depois joga fora, não fica reaproveitando o material.

Sobre a questão de emitir infravermelho e tals, não me dei ao trabalho de verificar sei se há comprovação de algum benefício. Mas sei que é improvável que um negócio que fica só alguns segundos sobre seu rosto vá ter tantos benefícios quanto alegado, né? Chamar uma esponja de “anti-idade” é forçar a barra.

Sobre a questão de minerais, é possível a presença deles. Na queima do bambu, o que não se converter em produto volátil vai ficar lá, o que inclui os minerais presentes na planta. Supondo que esses minerais são liberados a cada vez que você utiliza a esponja:

– a eficiência dessa liberação tem um tempo de vida, devendo ser substituída regularmente. Até aí não tem problemas, já que ela deve mesmo ser substituída regularmente por questões de higiene.

– Se você usa a esponja com o sabão e depois enxágua normalmente, provavelmente você estará enxaguando os minerais a cada lavagem e eles não farão muito por você.

– Se você for uma pessoa como eu, que fica enxaguando bem a esponja para eliminar a sujeira e adiar o aparecimento de mofo, esses sais vão durar menos ainda.

– Se você não usa ela com sabão, só com água após a lavagem, tendo em vista tentar aproveitar esses minerais (li gente dizendo que faz isso), usar a toalha logo depois reduziria qualquer suposto benefício, já que a água e os minerais seriam absorvidos na toalha.

Enfim, eu acho um bom produto para auxílio na limpeza por atender às minhas expectativas do que eu espero de uma esponja (suave esfoliação, auxílio na limpeza, maciez), mas acho certas alegações da embalagem fantasiosas demais.

Anúncios

Sobre Vanessa

Engenheira química, paulista, 27 anos, apaixonada por cosméticos e maquiagens. Acredita que conhecimento nunca é demais e que as pessoas deveriam ser mais críticas com as informações que recebem.
Esse post foi publicado em Acessórios, esfoliante, limpeza e marcado . Guardar link permanente.

6 respostas para Esponja de Carvão de Bambu

  1. Lélen Pink disse:

    ai ai vc só me fez ficar aqui na vontade dessa esponja,tbm vi esta blogueira falando dela,até pq como eu te disse aquela escovinha tbm não m fez bempoxa já procurei por toda a minha cidade e não acho esta esponjinha,:/vou ficar na vontade mesmo,rsrsbjkas

  2. Vanessa disse:

    Olha Lélen, para ser sincera, se não tivesse na Audrey, nem sei onde eu ia comprar ela, nunca vi em lugar nenhum. :-/Provavelmente ia comprar pela internet. Essas esponjas chinesas (como a minha) só têm o pó do carvão de bambu, tem umas japonesas (mais caras) que além do carvão de bambu, são feitas com uma tal de fibra de Konjac, a qual também teria algum benefício.

  3. Lanny disse:

    Aqui em Brasília, não encontro nada diferente, imagina esta esponginha!! 🙂 Queria testar!!

  4. Vanessa disse:

    Mesmo aqui em São Paulo é difícil achar essa esponja. Mas é bom ter conhecimento que existe, vai que um dia você encontra com ela por acaso…

  5. Salada disse:

    A escovinha também não faz bem nenhum à minha pele e já deixei de usar esfoliantes granulosos, mas às vezes acho que a área do nariz precisaria de uma discreta esfoliada. Nunca vi esta esponja aqui. Vanessa, acho que um meio interessante de prevenir o mofo é após lavá-la, deixá-la fora do box sobre uma saboneteira do tipo que tem uma gradezinha para que a água caia e deixe o sabonete seco. Beijo!

  6. Vanessa disse:

    Eu já faço isso! :)Cansada de ver meus sabonetes "nadando" eu comprei aquelas saboneteiras de pendurar na parede com ventosa que tem a grade com uns buracos bem grandes, não é a coisa mais bonita mas é eficiente. Uma eu separei só para deixar o sabonete de rosto e a esponja, realmente ficam secos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s